terça-feira, 26 de abril de 2016

SÃO PALAVRAS


São palavras de ternura
Que já não ousas dizer
Que transportavam doçura
Loucura e até prazer

É o ciúme é a dor
Que o teu silêncio me deu
Se acaso tens outro amor
Com mais ardor do que eu

É a minha louca vontade
De te ver de te abraçar
E a raiva desta verdade
De tanto te querer amar

São os sonhos e os desejos
Que tu despertaste em mim
Com a doçura dos beijos
Que guardo no meu jardim

É esta angústia que teço
Me acorda de madrugada
Com certeza que mereço
E sou talvez a culpada

São madrigais do sentir
Que não param de tecer
Amarguras a florir
Só p'ra me fazer sofrer. 


50 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Muito lindo e sentido o todo, começando pela ilustração até os versos.
Gostei muito, amiga*
Beijo e bom dia*

Tomás disse...

No se que decirte que me pareció mas hermoso si la imagen o la poesía, ambas de sobresaliente.

Saludos.

Mona Lisa disse...

Excelente e melancólico poema.
Beijinhos.

Aninha Ferreira disse...

que belo poema... diverti-me com as estrelinhas coloridas enquanto o lia haha

Cidália Ferreira disse...

Soberbos versos
Amei de verdade! Parabéns

Beijo de boa noite

Coisas de Uma Vida 172

Pedro Coimbra disse...

Excelente!!!

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, Com a certeza que é merecedora de todo o amor do mundo, o poema é romântico o que dele maravilhoso.
AG

Pedro Coimbra disse...

Simplesmente belo!!

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Muito bom este trabalho minha amiga é um encanto de poesia.
Um abraço e continuação de uma boa semana.

Andradarte disse...

Mais um poema simples,belo,tocante....como habitual.
Beijo

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Lindo, lindo!!! Sempre!!!

Brisa disse...

Olá minha amiga
As tuas palavras são de ternura e amor...são uma doçura...

Beijinho e um ótimo fim de semana

Andre Mansim disse...

Lindo, lindo!!!!
Aplausos para você.
Poema inspirado demais. Parabéns!

Walker Moovin disse...

Rosa... Escreves com as linhas do coração, seguida de uma mestria unica e veraz. Pois escreves com a ternura dos teus mais puros e belos sentimento, no qual foste criada na sua mais pura majestade de mulher.... um bj demorado recheado de carinho nas linhas deste puro coraçãozinho...

Kasioles disse...

Solamente, por el amor que transmiten tus letras, has hecho un poema que enamora a toda aquél que lo lea. Felicitaciones, de corazón.
Agradezco mucho tus letras, lo cierto es que me han ayudado, el consuelo nace al pensar de otra manera, me acordaré de tus palabras y me repetiré más de una vez que los que parten, no mueren, sólo marchan un poco antes que nosotros.
Te dejo un sincero y fuerte abrazo.
kasioles

Miss Smile disse...

Muito belo este seu poema. Sente-se que o escreveu com alma e coração.

Um beijinho

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Rosa.
"...a raiva desta verdade" - o amor que insiste.
bj amg

Nina Filipe disse...

Olá meu bem, por cá como por ai vai tudo como dantes no quartel de Abrantes, amiga linda nesta altura do campeonato as melhoras são fracas.
Adorei a sua visita como sempre eu é que ando sempre em falta, mas como o tempo tudo leva também a vontade dos blogues também vai esfriando, desejo um lindo fim de semana com toda a paz do mundo e todo o amor dos teus ente-queridos beijinhos de luz, amor, e paz.

CÉU disse...

Olá, Rosa Branca...

Como cantavam Alain Delon e Dalida, as palavras são apenas, paroles, paroles, paroles. As suas quadras relacionam-se com essa canção. ouça-a, se desejar e lhe interessar.

O seu poema, composto por seis quadras, está perfeito, dentro do estilo. Tudo começa pela fase da doçura e da ternura, para conseguirem, neste caso, o homem, o objetivo primordial, mas depois, viram as costas a quem tanto lhes parecia interessar. Muitas mulheres passaram por esse vexame e ingratidão, ficaram com filhos a seu cargo e hibernaram para o amor, especialmente. Caso entendam, há k continuar caminho, pke eles não são todos iguais, embora a essência seja a mesma.

Felizmente k os tempos estão a mudar, e todos nós, homens e mulheres, mas sobretudo mulheres, as mais visadas, temos os mesmos direitos e deveres, em consciência. Sou feminina e não feminista, deixe que acrescente isto para não se fazerem leituras e interpretações erradas.

Temos, tb, a tendência de associar aquilo que se escreve com a vida privada e íntima da pessoa, do autor da publicação, mas muitas vezes, e curiosamente, tem alguma ligação ou toda.

Espero k os seus madrigais pessoais não sejam o espelho do k escreveu.

Um aspeto k ando para referir há tempo: as quadras não devem ter, e olhe k sei do k falo.

a minha mão está mto lenta e parece que não quer sair desta letargia. Enfim, há k dar-lhe tempo.

Agradeço a sua visita e votos. Já percebeu, e já há alguns anos, k escrevo mto, e não só no meu blogue, mas tb nos comentários k faço. Enfim, sou assim, e nada a fazer.

beijinhos e dias de sol, luz e paz.

CÉU disse...

Deixe k lhe diga, minha amiga, k a imagem que encima o seu escrito está mto bem e adequada.
Pobre da mulher, que perante a falta de palavras doces, k um dia ouviu, até perdeu o equilíbrio. há mtas vogais e consoantes, por aí, ainda, agarradas a um passado, k já não faz sentido.

beijos e sempre novos rumos, melhores...

Ghost e Bindi disse...

Que lindo poema de amor! Dizem que entre duas pessoas, uma sempre ama mais que a outra. Geralmente, a mulher...
Mas não se pode exigir nem mendigar amor, pois só em plena liberdade ele term valia. O que não é para nós, conosco não ficará...mas o que nos está destinado, mesmo livre, escolherá estar ao nosso lado.
Um abraço com carinho!
Bíndi e Ghost

São disse...

Muito sentido, o poema...e cuidado com o ciúme, porque faz a vida num inferno a toda a gente.

Bom Dia da Dança e um abraço

CÉU disse...

Olá, Rosa Branca...

Eu, de novo, aqui, para acabar a frase, k no comentário anterior, e k por lapso, não concluí. Dizia eu, então, as quadras não devem ter sinais de pontuação. Na sua ultima quadra, colocou um ponto final, o k se percebe, querendo com isso indicar o fim desta sua publicação.

Beijinhos e bom fim de semana.

Graça Pires disse...

Gostei destes "madrigais dos sentidos". Um poema para cantar, por certo...
Beijo.

Mariazita disse...

Muito lindo este poema em forma de seis quadras, perfeitamente construídas, com ritmo e sentimento.
Tenho trabalhado bastante este tema (quadras), inclusivamente ajudando um professor na correcção de algumas, e posso dizer que estas estão PERFEITAS.

Votos de que tenha um feliz DIA DA MÃE, junto de sua família.


Bom Fim-de-semana
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

PS - O Miguel está melhorando, lentamente... Um beijo dele para si.

Marta Vinhais disse...

O amor sentido e vivido....
Lindo...
Obrigada pelas visitas...Espero que volte...
Beijos e abraços
Marta

Pedrasnuas disse...

São palavras que gostamos de ouvir, precisamos urgentemente de ouvir, desesperadamente de sentir, não sentimos só as carícias, os carinhos, os beijos, no toque...também sentimos as palavras, a forma como elas nos tocam; sedutoras e compreensivas ou cruéis e castradoras!
O teu poema? Em rimas, profundo!

Beijinho, Rosa !

Maria Rodrigues disse...

Nostálgico e belo.
Beijinhos
Maria

Pedro Luso disse...

Rosa-branca,

Como boa poetisa, você saber tirar das incertezas e das dores do amor, um poema como este. Parabéns.

Um bom domingo.
Um abraço.

Ricardo e Regina Calmon disse...

Girassóis em profusão em vida tua!

Ricardo

José Carlos Sant Anna disse...

Quando as palavras são usadas com ritmo e musicalidade resultam quase sempre num belo poema. E você sabe o que faz com elas. Gostei muito da sua lírica. Tirei o chapéu.
Abraços,

Armando Sena disse...

Um dia, firmes como outrora, tomaremos como nosso o desejo.
bj

© Piedade Araújo Sol disse...

quadras melodiosas um pouco nostálgicas mas bem rimadas.
gostei da imagem que deu suporte ao poema.
muito bem escolhida.
um beijo
:)

Jaime Portela disse...

Gostei das palavras que fazem este poema.
É excelente, parabéns.
Boa semana, querida amiga Rosa.
Beijo.

O Árabe disse...

Agrada-me intenso o teu estilo, amiga, que me faz lembrar o nosso lírico cancioneiro! Belo post, boa semana.

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

O "Hábito" não faz o monge,
Mas aparenta o seu "ar".
Cada vez se "vê" mais longe,
O doce acto de amar,
Se a vida rotinar.


Beijo
SOL

heretico disse...

belo poema. gostei deveras!

grato pela visita e amável comentário.

abraço

Pedro Luso disse...

Rosa Branca,
Parabéns pelo seu “São palavras”, um belo poema, que canta o amor perdido, o desencanto que toma conta da alma.
Abraços.
Pedro.

Fê blue bird disse...

Quando as palavras saem assim
a poesia nasce !

Um beijinho

saudade disse...

São palavras de Ternura que só um amor faz ter e sentir..
Como também quem as lê as sente.
Adorei.
Beijo de....
Saudade

Jaime Portela disse...

Vim à procura de mais.
Mas gostei de reler este excelente poema.
Continuação de boa semana, querida amiga Rosa Branca.
Beijo.

Braulio Pereira disse...

ola estou bem sou feliz com parkinson faço vida normal..isto nao é nada..

belo poema palavras da alma...

obrigado pelo carinho

beijos na alma.

Rafeiro Perfumado disse...

Eu diria que são frases! ;)

José María Souza Costa disse...


Olá, Rosa Branca
Que tenhas um fim de semana bom.
E um dia das Mães, maravilhoso. Confesso, que não tenho mais a minha, ao meu lado aqui na terra. Mas, tenho a esperança de reencontrá-la um dia, em algum lugar de tempo e espaço, por que creio na ressurreição, em nome de Jesus Cristo.
Um abraço, para você.

mixtu disse...

são palavras
que saltam
que nos apoquentam...
são palavras de sentires que nos acordam de madrugada

poesia

Arte & Emoçoes disse...

Olá Rosa! Passando para agradecer a tua visita e amável comentário deixado no nosso humilde espaço. Espero que voltes mais vezes, pois será sempre um prazer renovado. Eu, particularmente, aqui voltarei, pois além de teres um espaço interessante e bastante aconchegante, tomei a liberdade de me tornar teu seguidor, isso até quando permitires, é claro.

Quanto ao post, lindo e profundo poema. Quando o amor atinge toda a sua intensidade, é difícil não sentir pela ausência.

Abraços,

Furtado.

Odete Ferreira disse...

Leio sempre, com muito prazer, os teus poemas rimados, porque lhes conferem musicalidade e ritmo. Este fez-me remontar a uma imagem do namorico iniciado num baile - a sedução pelas palavras, seguindo-se um processo de enamoramento e, quantas vezes, se revelavam traiçoeiras.
Parabéns, amiga. BJO :)

Agostinho disse...

Poema que se desenvolve formalmente em quadras de versos rimados e de métrica regular. Cheio de musicalidade, poderá ser usado facilmente em canção por um compositor.
Bj.

Aninha Ferreira disse...

fantastico

Wonder Alves disse...

como sempre estas a esbanjar ternura e profundidade em seus dizeres, os quais faz-nos cativo deles... bj linda poetisa...