sábado, 4 de fevereiro de 2012

ABRO OS BRAÇOS

P'ra que quero um coração
Se dentro deste meu ser
Eu tenho a condenação
De sem ti ter que viver

P'ra que quero a alegria
Se não vejo o teu olhar
E fico nesta agonia
De não te poder amar

P'ra que quero a esperança
Se dentro do peito meu
Chora sempre a lembrança
Do sabor dum beijo teu

P'ra que quero eu escrever
Pois não sei se a seguir
Acaso me virás ler
Ou se rasgas meu sentir

P'ra que quero a solidão
Se no meio deste frio
Deixei secar o meu rio
Mas os sonhos esses não

Abro os braços à ternura
Porque a saudade só quer
Vestir a tua loucura
No meu corpo de mulher.

43 comentários:

Anónimo disse...

Belo poema. saudações poéticas

SOL da Esteva disse...

Rosa, Querida

Este teu magnífico lamento Poético diz das boas recordações e procura a volta do Amor.
Procura sem forçar porque o Amor é um Sentimento quase sobrenatural e só na comunhão dos seres ele se completa.Como disse, magnífica linha a do teu Poema.

Beijos

SOL
http://acordarsonhando.blogspot.com/

VITA disse...

Bom dia!!
Beijos e obrigada pela visita, seus poemas são sempre tão emotivos
Parabéns
Vita

MIESFE - 64 disse...

Que palabras mas hermosas nos presentas en esta entrada ,realmente es un placer leerlas y volverlas a leer

Un abrazo

Irene Alves disse...

A poesia é muito bonita. Mas temos
que saber resistir e lutar por
nós próprias. Nós somos o mais
importante, pode ser?
Beijinhos
Irene

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que, com freqüência, poderíamos ganhar, por simples medo de arriscar.
William Shakespeare

Cumprimentos

SOL da Esteva disse...

Rosa, Querida

Muitas questões se levantam apenas porque se Ama, ou por existir algum desapontamento que não se deseja.
Belo rol de questões, a responder de coração aberto.
Não te deixes desiludir.

Beijos


SOL
http://acordarsonhando.blogspot.com/

Mona Lisa disse...

Abrimos sempre "os braços" às recordações que nos marcaram...

Belísssimo poema no qual me revejo.

Beijos.

Luís Coelho disse...

Lindos versos à tristeza e solidão.
Para que queremos nós os braços, os olhos e o peito ??
Para que queremos o sentimento, se o amor nos abandona...??

Um dia virá. Acredito que virá.
Se não vier fui feliz enquanto acreditei...

Romy disse...

LINDO!!!!

Bjokas doces***

manuela barroso disse...

Uma rosa que assim sente e com este perfume,não pode sentir solidão.Um dia o sonho, rasga saudades abrindo a porta à ternura!
Terna poesia, Rosa!
Abraço

Lídia Borges disse...

Belíssimo, este dizer poético!

Um beijo

Everson Russo disse...

E no abrir dos braços tens a condição de abraçar o mundo em amor e quem sabe,,,reviver tudo outra vez...beijos de bom dia.

Maria Luisa Adães disse...

Abro os braços e te digo estou por cá! Me escreve!

Beijo, M. Luísa

Marcia disse...

Você tocou meu coração!!Amei!!Beijos!!

Graça Pereira disse...

Um poema lamento, desilusão, tristeza mas...um BELO poema!
Beijo
Graça

tossan® disse...

Belíssima postagem, o poema é lindíssimo. Bj

Aline Santos disse...

Olá, Boa noite Rosa (Roseira- Branca)!
Que poema magnífico!
Te encontrei por meio de um comentário que fizeste no blog de uma amiga minha..
E por curiosidade vim te visitar. ^^
Vim por acaso, mas não é por acaso que continuarei a vir. :)
Seu cantinho é deveras agradável.
Grande abraço da Pérola.

AFRICA EM POESIA disse...

foi bom abrires os braços
lindo..

só hoje respondo a visita ao meu cantinho
Só hoje fiquei tranquila para o fazer.
esta lareira não era uma lareira qualquer
era a minha lareira.
e era a minha preocupação..
O meu marido ia ser operado.eu estava muito preocupada e sem animo para muita coisa.
Mas a operação correu muito bem e ele já está em casa.
ontem tbm fiz uma pequena cirurgia à boca para implantes e vim muito debilitada e nem abri o pc.
hoje venho dar-vos um beijo e partilhar convosco a razão da minha ausência..

beijosssssss

LAREIRA

Lareira acesa...
Lareira quente...
Vermelha muito vermelha...
Cheia de cores...
Que aquecem...
E me deixam encostar...
O meu rosto ao teu...
E dizer-te baixinho...
Fica aqui...
E deixa-me ficar...
Sempre assim!...

LILI LARANJO

Nilson Barcelli disse...

Excelente poema, querida amiga.
As tuas palavras cantam o amor e encantam quem as lê.
Beijo.

Lucia Costa Siqueira disse...

Oi
Querida
Agradeço a gentileza de sua vst
Seu carinho de trazer meu link
Me senti lisonjeada,obrigado amiga
Desculpe a minha simplicidade......
Bjsss

Maria disse...

Minha amiga quanta tristeza e nostálgia neste versos tão intensos e lindos. Hoje venho especialmente para agradecer o seu carinho ao ter comemorado comigo o aniversário da minha mãezinha, deixando a sua preciosa mensagem.
“A glória da amizade não é a mão estendida, nem o sorriso carinhoso, nem mesmo a delícia da companhia. É a inspiração espiritual que vem quando você descobre que alguém acredita e confia em você.” (Ralph Waldo Emerson)
Beijinhos
Maria

Sonhadora disse...

Minha querida

Como sempre os teus poemas me dizem tanta coisa.

Beijinho com carinho
Sonhadora

A VIDA É UM ETERNO APRENDIZADO disse...

Olá!Adorei conhecer seu blog.
Sou uma pessoa que admira muito quem escreve.
Grande abraço
Se cuida

Daniel Costa disse...

Rosa

"Para que quero..."! Mas no fim fica sempre a sã loucura, de abrir os baços à ternura. Poema interessante e marcante.
Abraço

Zilani Célia disse...

OI ROSA-BRANCA!
BELOS VERSOS.
REPLETOS DE SENTIMENTOS QUE NÃO SÃO COMPARTILHADOS, DAI, TANTO SOFRER.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com/

Jorge Pimenta disse...

"a saudade só quer
Vestir a tua loucura
No meu corpo de mulher."

há palavras que inauguram todos os fundamentos da respiração.

beijinho!

Duarte disse...

Que lindo canto ao amor, dum ser que ama incondicionalmente. Bela esta forma de amar, mesmo sendo incompleta...
Um abraço bem forte

Álvaro Lins disse...

Também gostava de fazer poesia assim:)!
Bjo

Nilson Barcelli disse...

Reli com agrado o teu belo poema.
Rosa, querida amiga, tem uma boa semana.
Beijo.

Nilson Barcelli disse...

Reli com agrado o teu belo poema.
Rosa, querida amiga, tem uma boa semana.
Beijo.

Professor Zeluiz disse...

Rosa, você sempre surpreende!

Manuel disse...

Este poema é um lamento que cola dentro de nós.
Belíssimo poema,

Rafael Castellar das Neves disse...

Oi Rosa!!


Disse tudo...finalizou com ótima verdade!!

Obrigado pela visita lá no <a href="http://descemaisuma.blogspot.com>Desce Mais Uma!</a>

beijos

mixtu disse...

abro os braços
desfolhei
secando o rio
que não chega ao mar...

sonhando...

ternura...

abrazo serrano

A.S. disse...

"Abro os braços à ternura
Porque a saudade só quer
Vestir a tua loucura
No meu corpo de mulher."

LINDOOOOOOOO!!!!!!!!!!


Beijos,
AL

Maria Alice Cerqueira disse...

Boa tarde Amiga
Vim lhe desejar um bom carnaval.
abraço amigo
Maria Alice

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Mesmo que a saudade
de alguém seja maior
que a nossa vida,
se o rio do sonho
não secar,
um outro rio de alegria
há de correr em nós.

Que sempre existam
sonhos a habitar teu coração

Machado de Carlos disse...

Tenho a ternura do teu olhar, tenho teu sorriso meu viver.

Beijos!

Marcia disse...

Não resisti e reli!Bjos!

Manuel disse...

Que bela poesia.
Um verdadeiro hino ao amor.
Fiquei encantado.
Magnifico.
Um beijo

sandrafofinha disse...

Desejo que abras os braços para sempre à amizade, ternura, afecto, simpatia,felicidade e amor!! Que sejas sempre feliz e que estejas sempre rodeada de paz na tua vida. Beijinhos,fica bem amiga!!

José disse...

Abro os braços agora
de manhã e à tardinha
mas tu foste embora
deixas-te de ser minha

Beijinho,
José.