segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

DESPERTEM





Despertem horas sombrias
Não fiquem pasmadas agora
E dêm amor, alegrias
Á juventude de outrora

Despertem, porque as maldades
Não podem ficar mais caladas
Têm que viver as verdades
E serem desmascaradas

Despertem palavras vãs
Não bradem com ironia
Pois em todas as manhãs
A morte passa, sombria

Que todos entes queridos
Não vivem eternamente
Ou vão partir esquecidos
Que afinal até são gente

Despertem pois toda a gente
Que a saudade está a matar
A alma de quem não sente
E se negou a amar

Despertem que estou agora
Olhando o anoitecer
P'ra ver o nascer d'aurora
Quero vê-la envelhecer

Despertem dessa amargura
Que o dia está a nascer
E vejam quanta a ternura
No dar e no receber.


27 comentários:

Runa disse...

Amiga, muita nostalgia e amargura nos teus versos. Pareceu-me também sentir um pouquinho de revolta. Há dias assim...

Beijos

Runa

Wanderley Elian Lima disse...

Lindo homenagem a aqueles que já viveram muito e nos ensinaram muito. São os grandes merecedores de nosso carinho e amor.
Bjux

Sonhadora disse...

Minha querida

Nostálgico...mas muito belo como sempre, adoro ler-te...revejo-me no que escreves.

Beijinho com carinho
Sonhadora

Maria João disse...

É urgente voltar a ser gente
Reaprender a ser diferente,
porque viver sem partilhar
é como nascer num rio
que está prestes a secar!

Gostei muito

Um beijinho Rosa

carlos pereira disse...

Cara Poetisa do Amor;
Lindo poema, de uma ternura comovente e contagiante.
Gostei muito.
Um beijo

Mona Lisa disse...

Olá

Nostalgia e ternura envolvem este teu belo poema.

Bjs.

Joana e Sofia disse...

Olá

Conseguiste dizer precisamente o que se passa de hoje em dia.
Adorei.

Beijos
Joana e Sofia

Valquíria Oliveira Calado disse...

A ternura de amar, de sentir com coração não com a visão, temos amado com facilidade o belo, esquecemos que o eterno, é espiritual, bjos amiga.

Jorge Pimenta disse...

botão-de-rosa,
impossível é não despertar no sopro deste manifesto humanista.
beijo-te as pétalas!

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Rosa!

Linda imagem, juntando os dois extremos da vida.
É bem verdade que um deles, na sociedade egoísta em que nos tornámos, sempre recebe menos carinho que outro. Eu acho que muitos de nós se imaginam jovens para sempre, esquecendo quem o não é, até ao dia em que nós nos tornamos eles...
Pertinente e lindo o poema, e a mensagem nele contida.

Beijinhos.
Vitor

Nilson Barcelli disse...

É urgente despertar...
Excelente poema. Parabéns pelo talento que revelas.
Beijos, querida amiga.

BRANCAMAR disse...

Muito lindo e pertinente este poema, numa sociedade tão carente e solitária.
Aprender a dar com amor, a dar-se é urgente sim.

Beijos
Branca

MIESFE - 64 disse...

Una imagen muy tierna acompañada de un lindo poema.
El poeta es algo espectacular ,sabe enlazar las palabras y al final queda un poema de verdad
Un abrazo

A.S. disse...

Rosa-Branca,

Lindo poema! Adorei a sua ternura e musicalidade...


Beijos,
AL

Alvaro Oliveira disse...

Olá amiga Rosa Branca

Fiquei surpreendido, não encontrar o comentário que aqui deixei. Estranho, mas paqciência.
Beijos
Alvaro

Graça Pereira disse...

É preciso despertar a ternura
Com carinho e muito amor
Aos que perderam a ventura
e vivem agora só na dor!

Lindissimo poema, um grito para que não esqueçamos os mais velhos.
Beijo
Graça

Maria disse...

Querida amiga um poema absolutamente divinal, que tocou o meu coração. Quanta tristeza e dor existe no coração de quem já viu partir a juventude e que tem agora como companhia apenas a solidão.
Tenha um maravilhoso fim de semana
Beijinhos
Maria

Sandrio cândido. disse...

Que belo pedido, despertei-me para a vida.

Nilson Barcelli disse...

Querida amiga, passei para te desejar bom Domingo.
Beijos.

tulipa disse...

GOSTEI DE TUDO

A MÚSICA É DIVINAL.

A foto é deliciosa.

O poema é LINDO.
Gostei destes versos:

Despertem pois toda a gente
Que a saudade está a matar
A alma de quem não sente
E se negou a amar

Infelizmente é verdade!
Beijinhos.

Cláudio J. Gontijo disse...

Belas imagens. Palavras pertinentes, que podem perturbar a alma.

Conforta-me estar aqui.

Felicidades, sempre. Grande abraço.

AFRICA EM POESIA disse...

São
Despertem mesmo!...


deixo o farol que serve para nos guiar.para nos unir e tantas vezes para Amar...


O FAROL




Este Farol...

É diferente...

É farol...

Alto e longo...




Alberga...

Muitos sonhos...

Muitas fantasias e...

Muitas Amizades...




Farol...

Que gira...gira...

Deixa um raio de luz...

A propagar-se...

Em todas as direcções...




E aqui...

Concretamente...

Neste farol...

Eu paro...




Fico a olhar...

E a meditar...

Pois sinto...

Que aqui...




Neste farol...

A cumplicidade...

Está mesmo presente!...


LILI LARANJO

Tére disse...

Olá amiga!
Que lindo poema, adorei como sempre. Desculpa a minha ausência. Muitos beijos para ti.

Eduarda disse...

Rosa,

Um pouco de revolta num poema pleno de realidade.

Um simples gesto para quem nos deu tanto, custa tão pouco.

bj

tossan® disse...

Quando eu era menino, tinha uma professora que repetia a seguinte oração:
"Livrai-nos da morte repentina".
O que significa isso?
Significa que a morte consciente é melhor do que a repentina.
Ela nos dá a oportunidade de refletir. J.A
Muito lindo. Beijo

São disse...

Bem haja por este post!!

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Cumprimentos