segunda-feira, 27 de julho de 2020

Há um mar





   Há um mar de nostalgia
Na praia do meu sentir
Com ondas de agonia
Que não me deixam fugir

Há palavras magoadas
Gritos de reprovação
Com sonoras gargalhadas
De desdém de humilhação

Gentilezas e ternura
Só para aos outros mostrar
Uma dose de doçura
Que nunca teve p'ra dar

Máscaras de compreensão
Transpirando hipocrisia
Pintadas de compaixão
Em tela negra sombria

Atestados de estupidez
Passados a toda hora
Loucuras de quando em vez
Onde o bom senso não mora

Há um mar onde a saudade
Escava dentro de mim
Para enterrar a verdade
Um clima de falsidade
Numa mentira sem fim




37 comentários:

Tomás disse...

Una bella pintura acompañado por una poesía de su altura.

Saludos.

.dealer disse...

Um poema belissimo onde se nota o Mundo hipócrita onde vivemos
Gostei imenso Um abraço

Armando Sena disse...

Um dia seremos donos do sonhar.

A.S. disse...

Olá Rosa Branca!
Que bom que voltaste!

Fica o meu abraço de amizade e carinho.
AL

Carlos Augusto Pereyra Martínez disse...

El poema apertura para varias lecturas, una recordando a Alfonsina, a la Pizarnick, on desfortuna en el amor, y atraídas por el mar para enterrarse de vida en él. La otra mirada, la de sepultan las penas del amor en el amor. Un bello poema lírico. Se siente el dolor. Un abrazo. Gracias por su visita e mi blog. Me cuelgo del umbral del tuyo. Carlos

vieira calado disse...

Olá, como está!

Há um grande mar de saudade em tudo, tudo...


Saudações poéticas

Duarte disse...

Essa Rosa Branca que perfuma amigos de Portugal. Faziam-me falta esses poemas com versos plenos de nobres sentimentos.
Deseo que sigas bem e aqui te espero encantado da vida. Volta sempre.
Abraços de vida, querida amiga

Zélia Chamusca disse...

O seu belo poema traduz um triste sentimento que sinto em cada momento pela tristeza das relações pessoais tão degradadas nestes tempos em que vivemos.
Parabéns!
ZCH

Elvira Carvalho disse...

Que saudades dos seus belos poemas amiga.
Abraço e saúde

Maria Rodrigues disse...

Palavras tão sentidas e nostálgicas num poema belíssimo.
Adorei vê-la voltar.
Beijinhos

Juvenal Nunes disse...

Um poema sentido e magoado na recordação de um amor que doeu.
Abraço solidário.
Juvenal Nunes

Maré Viva disse...

Olá Rosa Branca que poema lindo, onde imperam a saudade e laivos de decepção!
Mas o que é a vida senão um mar de contradições?
Gostei muito!
Um abraço de boas-vindas.

Humberto Maranduva disse...

Tanta nostalgia e mágoa, neste belíssimo poema.
Gostei imenso.
Um abraço.
Humberto Maranduva.

carlos perrotti disse...

Me gustó tu poema, Rosa. Su sonoridad...

Muchas gracias por tu visita. Abrazo hasta allá.

A.S. disse...

Vim deixar-te um abraço e votos de um feliz fim de semana!
Grato pelo teu carinho!
A.S.

Quase Cinderela disse...

Um poema magnífico.
Profundo, bem escrito, lindo e cheio de significado.
Parabéns!
Adorei o blogue, vou seguir.
Um grande beijinho
Bom fim de semana

Pedrasnuas disse...

Um mar revolto, um mar bravo, um mar cheio de verdade, um mar gritante, um mar vomitado!

Que bela composição, em palavras vingado!

Rosa, querida amiga, bom fim de semana.

Beijinhos

Jaime Portela disse...

O retrato de uma vida sofrida, sem amor.
Apesar disso, o poema é excelente. Gostei imenso.
Bom fim de semana, querida amiga Rosa Branca.
Beijo.

SOL da Esteva disse...

Feliz pelo teu regresso (já era tempo!).


Este mar que nos afoga e prende, também nos deixa vogar nas suas ondas.
Este Poema é pertinente, quase especial, nos tempos actuais.
Magnífica, com sempre, na mensagem que fazes passar.
Amei!


Beijo
SOL

O Árabe disse...

Sim, amiga: em todos nós, existem um mar e um universo. Felizes são os que o percebem... e sabem transformá-lo em bela poesia! Meu abraço, boa semana.

Luiz Gomes disse...

Bom dia tudo bem? Sou brasileiro e procuro novos seguidores para o meu blog. E seguirei o seu com prazer. Novos amigos também são bem vindos, não importa a distância.

https://viagenspelobrasilerio.blogspot.com/?m=1

Pedro Luso disse...

Olá, Rosa, um belo poema que desnuda vários sentimentos humanos e que mais cedo ou mais tarde vêm à tona.
Um abraço,
Uma boa semana.
Pedro.

Élys disse...

Um poema pleno de mágoas, Na vida muitas vezes sofremos situações difíceis, Um poesia que bem mostra isto.
Um abraço.´
Élys.

Luiz Gomes disse...

Boa noite tudo bem? Sou brasileiro e procuro novos seguidores para o meu blog. E seguirei o seu com prazer. Novos amigos também são bem vindos, não importa a distância.

https://viagenspelobrasilerio.blogspot.com/?m=1

Ana Freire disse...

Um mar de dificuldades... assim é a vida... com alguns momentos bons pelo meio... que lá nos vão fazendo crer, de que tudo valeu e continua a valer a pena...
Tão bom, vê-la de volta!
Estimo que se encontre bem, assim como todos os seus, Rosa!
Um beijinho! Votos de um Agosto tranquilo com saúde, e com tudo a correr pelo melhor, aí desse lado!
Tudo de bom!
Ana

Jorge Sader Filho disse...

Poetas sofrem mesmo, não há como fugir.
Beijos

Luiza Maciel Nogueira disse...

As mentiras por vezes revelam verdades. :)

José Carlos Sant Anna disse...

Me deixei levar pelo ritmo e pela melancolia que escorem deste belo poema.
Abraços,

Duarte disse...

Rosa, voltei para perceber esse aroma da tua poesia para que não se dissipe.
Beijinhos

Maré Viva disse...

O poema continua cá, mas continua belo e actual, com suas verdades nuas e cruas!
Beijos.

Ana Tapadas disse...

Um belo blogue!
Imagens muito bem escolhidas e este poema ritmado, mas escrito com a tinta da dor...

Beijinho

Ana Freire disse...

Passando a deixar um beijinho, e os meus votos de continuação de um bom mês de Setembro, com saúde!
Bom fim de semana!
Ana

Jaime Portela disse...

Bom fim de semana, querida amiga Rosa.
Beijo.

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Maravilhoso poema! Perfeitas rimas e métricas... Boa mensagem! Gostei muito! Abraço! Laerte.

silvioafonso disse...

Seus versos mexem comigo. Adoro
poeta.
Um beijo e obrigado pelo brilho
que põe nos meus olhos.

LuísM Castanheira disse...

São tantas as mentiras e falsidades que o nosso mundo
desaba na dúvida. Há mágoas e incertezas que nos fazem
tanto mal.
Um poema ritmado, bem escrito e estruturo, em quadras
que alertam num mar traiçoeiro.
Gostei muito.
Um beijo e uma resto de semana feliz.

LuísM Castanheira disse...

Ah...!, e um bom regresso, Roseira Branca, florida.