sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

HÁ NATAIS ASSIM...


Foi em Dezembro dia 8, fez 49 anos, que se deu a maior reviravolta na minha vida. Para esta história(a minha história de vida) nunca consegui fazer um verso ou até uma rima. Lembro-me como se fosse hoje, sinto saudades, mas não há dúvida que o tempo é um bom amigo.

Nasci,cresci e passei parte da minha juventude no seio da terceira idade. Os meus avós maternos e paternos. Os primeiros, o meu avô Antunes, homem alto, esguio, olhos claros, cabelo russo(sinal que era loiro) do tipo inglês. Pedreiro afamado e sócio fundador do Sporting, não perdia uma jogada.
Costumava sentar-me nas pernas e contava-me as histórias da sua juventude, que por vezes as alterava, e eu, como as sabia de cor, corrigia-o, perante o olhar maroto da minha avó.
Falava com a lua, quando estava com um grãozinho na asa e com o gato manjerico.
A avó Branca,(assim se chamava) era mulher baixa, gorducha, olhos grandes negros e cabelos muito brancos, cuidadosamente penteados e presos num carrapito. Usava um travessão em osso para prender algum cabelo mais pequeno, não fosse ele cair para cima da comida.
Era mulher de armas destemida. Chamavam-lhe a mulher dos sete ofícios. Fazia a roupa do meu avô e na doçaria, sabia fazer toda a qualidade de bolos. Trabalhava para fora, cozia pão, cuidava dos cento e tal vasos de flores e tratava do jardim. Era sem dúvida o jardim mais belo das redondezas.
Chamavam-lhe a Branca das flores, a Branca dos bolos a operadora de galinhas etc... operava as galinhas, quando estas ,deixavam de comer e como sabia que iam morrer arriscava. Muitas escapavam e começavam a comer.
Lembro-me, que quando cozia pão, guardava sempre um pedaço de massa ao qual juntava açúcar amarelo e azeite. Eram os nossos bolinhos!...e era uma alegria para nós. Quando os tirava do forno, atirava-os ao ar( pois estavam quentes) e eu saltitava de volta dela até os apanhar. Quando conseguia, como não aguentava o calor, aparava-os com o meu vestido. era sabido que ouvia logo um ralhete, pois sujava o vestido.
Era a avó Branca que os fazia. De chita ou popelina, com grandes laçarotes na cintura e alguns até tinham folhos.Fazia-me canudos no cabelo, que me davam pela cintura e por fim um grande laço branco na cabeça. Levantava-me ao ar para me ver rir e mesmo zangada, havia sempre um sorriso.
Era vê-la no Carnaval. Fazia bonecos com almofadas na cama da vizinha Carolina (e de outras vizinhas), colava os vasos dela com cimento e os das vizinhas ia pô-los longe. Mascarava-se e ia bater à porta das vizinhas, pois sabia que as assustava. Apanhava os lagartos vivos, embebedáva-os com aguardente, metia-os numa caixinha bonita e oferecia-os à vizinhança. Apanhava cobras vivas e enrolava-as ao pescoço, e eu, escondia-me debaixo da cama. O ultimo Carnaval mascarou-se com o fato de um vizinho, que era da guarda republicana. O senhor à espera do fato para ir trabalhar e ela com ele vestido. Era mesmo endiabrada.
Um dia muito séria disse-me:- Se me acontecer alguma coisa quero que vás para casa da tua avó Rosa.
Andava doente há já algum tempo,mas eu não me tinha apercebido. Gostava muito de dizer provérbios, como resposta às minhas perguntas.
- Não faças aos outros, aquilo que não queres que te façam a ti.
-Quem tudo quer tudo perde.
-Manhã de nevoeiro tarde de soalheiro.
Mas havia um que eu não entendia e que um pouco mais tarde acabei por entender e bem.
-À sorte e à morte ninguém escapa.
Começou por passar muito tempo deitada. Um dia,vi chegar uma ambulância, para a levar para o hospital de Lisboa.
Passados poucos dias voltou, mas continuava na cama. No dia 7 de Dezembro chamou-me e deu-me a minha prenda de anos antecipada. Umas meias de lã, verdes, até ao joelho.
Partiu a um Domingo dia 8 de Dezembro( dia da mãe) ás 18,30 horas.
Até hoje, mantenho a imagem dos ponteiros do relógio em letra romana, parados os dois juntos, quando afinal nós, nos tínhamos acabado de separar.

No dia 9 de Dezembro lá me levaram a acompanhar a avó até à ultima morada. Foi directamente de casa para lá, pois como não era casada com o avô, não teve direito de passar pela igreja e nem a padre.
No dia 11 a minha mãe ainda lá estava e foi aí que eu pensei... se calhar vai levar-me com ela para Lisboa. Enganei-me. O que a avó deixou dito era praticamente uma escritura.
Depois de desocupar a casa( pois era alugada) de me queimarem os meus livros da escola, a minha boneca, que a avó tinha feito e bordado os olhos, de partirem as flores que ela tanto adorava, a minha mãe disse-me, que se ia embora e que levava a minha irmã.
No dia 12 a minha mãe foi-se embora com a minha Fernanda, e eu, fiquei estática na paragem a olhar para as duas.
Como os meus pais eram separados e era impensável ser a minha mãe a entregar-me, foi uma vizinha que foi comigo até a casa dos avós paternos, que moravam no campo.
Foi a avó Rosa que veio receber-me de braços abertos.
Ali tudo era estranho. Até aquela altura, vivi, sempre na vila. A casa da avó Branca era pobre, mas tinha electricidade, água canalizada, uma casa de banho embora pequena, um fogão a lenha onde aquecia a água para os banhos etc...
Ali não havia nada, era no campo, só se via as luzes da vila(ao longe) era escuro como breu, não havia água canalizada, era a do poço, não havia casa de banho, eu tinha que ir ao esterco, a luz era candeeiro a petróleo. Tomava banho num alguidar de zinco e a cama era um colchão de palha de centeio. Até da minha sombra eu tinha medo. Adormecia a chorar e acordava quase sem voz.
A avó não descansou, enquanto não me arranjou, um colchão feito de camisas ripadas e que era bem fofinho.Ela queria me ver contente. Naquela noite embora adormecesse a chorar sentia-me nas nuvens.
Entretanto chegou a véspera de Natal, e eu perguntava para mim, porque é que me tinham tirado tudo? Eu só pensava que não ia ter a boneca de trapos com os olhos bordados pela avó,não ia pôr a bota na chaminé, para de manhã ir buscar a prenda,não ia ver a alegria da minha irmã, quando desembrulhasse a prenda, não ia com o meu avô à paragem da camioneta, para ir buscar a minha mãe, que eu tanto adorava e que era hábito, ir passar o Natal connosco. Também não ia ouvir as histórias do avô nessa noite, nem ia ter as filhós pequeninas feitas pela avó.
Pelo que me apercebi os meus avós paternos, passavam o Natal sózinhos e no dia de Natal os filhos iam lá almoçar. Fui-me deitar por volta das 11 horas, agarrada á minha prenda de anos, que a avó Branca me dera, a chorar e a perguntar porque me tiraram tudo.
Na manhã seguinte quando acordei, aos pés da minha cama tinha uma prenda, a primeira para o meu enxoval. A avó Rosa não se esqueceu. Até o avô Hermano que não ligava a essas coisas veio ver qual a minha reacção.
Os dias, meses, anos, foram passando sem eu saber mais nada da minha mãe e da minha irmã.
Quando fiz 17 anos recebi uma carta com uma foto da minha mãe. Fiquei felicissima e mostrei à minha avó. Ela com a lágrima no olho disse-me:- Olha filha, mãe nem que seja uma pedra. A seguir disse-me que só tinha pena, que eu tenha passados anos a escrever-lhe e ela não me tivesse dado resposta.

Passados quase 20 anos, faltaram apenas alguns dias, precisamente a um Domingo e ás 18,30 nasceu a minha princesa. Coincidência? Não sei. É mais uma dúvida para juntar a tantas outras que me acompanham ao longo da vida. 
Os anos foram passando e o que ficou de tudo foi saudade das avós mas principalmente da avó Branca. Talvez seja por tudo isso que eu detestava o Natal e desde que os meus filhótes nasceram eu sempre os incentivei.
Talvez por tudo isso quando faço rissóis(que chego a fazer 70) faço sempre miniaturas( como a avó fazia) de 3 ou 4 tamanhos.
Que quando faço bolachas faço bonecas de tranças e bonecos.
Que acabei descobrindo, que consigo fazer qualquer tipo de bolo, tarte, pão, salgados, bolos de aniversário etc...e tudo me sai bem.
Talvez seja por isso, que faço qualquer tipo de costura aventais, sacos de molas, calças, camisas, vestidos de bebé e quando não sei invento. A avó Branca era assim.
Agora que tenho netos, faço bolinhos pequeninos, bonecos de bolo, pãezinhos de azeite e mel, e este Natal talvez vá vestir o fato de pai Natal e distribuir as prendas e até talvez vá roubar um fato de G.N.R. e vá brincar ao Carnaval com os netos.
Talvez por tudo isso, que eu adoro a 3ª idade, que tenho 2 filhos maravilhosos, dois netos lindos e que tenho esta alma com alguma nostalgia.
Talvez seja por tudo isso que eu não consigo chorar faz tempo.
E talvez seja por tudo isto que eu gostava, que fosse Natal todos os dias, que todos os Natais tivessem crianças e que todas as crianças tivessem amor.
Há Natais assim, que nos acompanham até ao final da nossa existência.

78 comentários:

Odete Ferreira disse...

"Há Natais assim, que nos acompanham até ao final da nossa existência." - escreves tu.
E eu apenas digo: há momentos de leitura que valem por centenas de poemas. Por isso és Rosa-Branca. Por isso, desde o primeiro momento em que nos cruzamos no meio virtual, senti essa ALMA tão grande. Por isso, só posso agradecer teres escrito (e tão bem) e partilhado a tua história.
Um Bjo de muito carinho, Rosa florida!
(E tem a certeza: para ti é Natal todos os dias...)

Cidália Ferreira disse...

Maravilhoso texto. Parabéns

Beijinho e bom fim de semana.

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Tomás disse...

Rosa la vida es cíclica y ahora haces con tus nietos lo mismo que tus abuelas hicieron contigo.
Felices Navidades y que el próximo año te sea propicio.

Saludos.

Marina Fligueira disse...

Hola Rosa, yo también querría ser niña y gozar de la Navidad de antaño, que dentro de la poca abundancia éramos muy felices.

Perdona mi ausencia no es abandono es un problema de salud que deseo pase pronto para volver a visitaros corresponder a quien deja su bonita huella en mi humilde espacio.

Te dejo un abrazo con mis mejores deseos en estas fiestas navideñas y año nuevo. Que traiga lA PAZ AL MUNDO ENTERO.

Se muy feliz ahora y siempre.

Jaime Portela disse...

Fico sem palavras perante este teu texto.
Mas sempre digo que fizeste bem desabafar um pouco, pois talvez te sintas aliviada do sofrimento que tiveste em criança com a separação da tua mãe.
E, afinal, digo ainda que me comoveu a forma como te referiste à tua avó.
Querida amiga, desejo-te um FELIZ NATAL, na companhia dos que mais amas.
Beijo.

Elvira Carvalho disse...

Uma partilha emocionante amiga. Fiquei emocionada, nem sei que dizer.
faz bem em tentar ser para os seus netos o que a avó Branca foi para si. O que as crianças precisam é de amor, e de ações que eles vão recordar por toda a vida.
Um abraço e bom fim de semana

Roselia Bezerra disse...

Boa noite, querida Rosa!
Precisava ler esse texto tão lindo com sentimentos puros de circunstâncias maravilhosas de uma infância feliz...
Felizes Festas, amiga!
Bjm muito fraterno

Vieira Calado disse...

Olá, amiga,como tem passado?
Venho desejar-lhe uma excelente Quadra Natalícia!


(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Não precisas escrever nenhum verso, pois, já nos transportastes para dentro da história nesse belo texto. Emocionanente. Parabéns. Beijos.

Wonder Alves disse...

O Amor de uma poetisa não é como os outros...
É um amor que somente ela consegue transmitir...
o Amor de uma poetisa é profundo, sincero e verdadeiro.
porém nem todos conseguem entender, tamanha profundidade dos seus dizeres. A não ser, aqueles que poetisa seus verso nas paredes do seu coração...
Uma poetisa quando ama se entrega como qualquer outra, mas é nas profundezas de seu sentimento que ela encontra sua inspiração.
Uma poetisa não ama por amar, ela apenas ama o que lhe faz inspirar.
Uma poetisa se entrega de verdade, porém ela deixa o seu coração falar.
O amor de uma poetisa precisa ser valorizado, pois é um dos mais lindos sentimentos que existem.
Uma poetisa quando ama entrega seu coração as suas palavras ao seus versos. Pois o seu amor pela poesia é maior que qualquer coisa.
Feliz é a pessoa mulher que possui o dom de poetizar.
O amor de uma poetisa, fala mais alto que qualquer nuvem carregada, ao destacar seus caminhos em palavras.

Bj nas linhas do seu coração..

Gracita disse...

Querida Rosa
Falar da emoção que senti lendo suas memórias é difícil pois não encontro as palavras certar para expressar o que se passou no meu coração vendo desfilar diante de meus olhos a tua doce infância com lindas recordações, outras nem tanto, mas foi o natal que marcou o seu coração
E sei que para você é natal todos dias minha amiga.
É natal de amor, de partilha e comunhão com a tua família tão amada
Um desnudar de alma que comoveu o meu coração
Um feliz natal pleno de amor, paz e harmonia
.:*~*:._.:*~*:._.:*~*:._.:*~*:._.:*~*
......... *.............................................
........./.\.............................................
......../..'\....Desejo felicidades
......../'.'\....prosperidade, saúde
......./.''.'\...realizações, paz e tudo
......./.'.'.\..do melhor para você e toda
....../'.''.'.\..a sua família neste Natal
....^^[_]^^e Ano Novo!!
...........................................................

Beijos natalinos com imenso carinho

Manuel Veiga disse...

Grato pela presença amiga

Votos de Boas Festas.

abraço

CÉU disse...

Olá, Rosa Branca!

Um testemunho impressionante de vida, minha amiga, mas diga, dê a saber, desabafe, conte o resto, não receie!

A avó Branca era e é o seu ídolo, tal como a Rosa Branca o é para os seus netos.

Vá falando, por aqui, para que saibamos o que viveu e o k está a viver.

UM FELIZ NATAL E UM ANO NOVO, DIFERENTE, SOLIDÁRIO.

Beijos e um abraço bem sincero e cúmplice.

Magia da Inês disse...

☆ه° ·.
Um texto lindo e comovente!

Que o menino luz de Belém esteja em nossos corações, não só no Natal, mas em toda nossa vida!

Bom fim de semana!
Beijinhos.

✧°ه.‿⎠

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um belo e emocionante texto que gostei bastante.
Um Santo e Feliz Natal.
Dedais de Francisco e Idalisa

Mona Lisa disse...

Emocionaste-me com a tua história de vida que adorei!

Desejo-te um Feliz e docinho Natal junto dos que amas!

Beijinhos.

O Árabe disse...

Verdade, minha amiga! Há Natais (e momentos) assim, que nos marcam pelo resto da nossa existência. Muitas vezes, são eles que determinam o que somos, deixando uma eterna saudade e reforçando a nossa determinação de seguir em frente, para sermos dignos das nossas lembranças e dos nossos entes queridos. Belo post, que me emocionou. Boa semana, Feliz Natal!

Smareis disse...

Muito lindo esse texto. Bem comovente.
Estive um pouco ausente durante alguns dias. Mais não poderia deixar que o ano terminasse sem passar aqui pra deixar meu carinho e meus agradecimentos por termos caminhado pelo menos um pouco durante esse ano de 2016 nessa blogosfera. Muito obrigada!
Que o menino Jesus esteja sempre presente na sua vida.
Desejo a você e à sua família um Natal de Luz e um próspero Ano Novo
Repleto de alegrias e bênçãos!
Boas Festas!
Feliz Natal!
Feliz 2017!
Blog da Smareis

manuela barroso disse...

Querida amiga,
Se no caminho vinha a sorrir com as sua palavras, aqui ao ler a sua comovente história tive um misto de tristeza que ao chegar ao desfecho, foi a catarse de que eu necessitava.
Uma grande Senhora que soube dar a volta com seriedade e força de uma guerreira.Uma vida que é exemplo de como, quando somos firmes, conseguimos ser o que sonhamos. E afinal o que merecemos.
E agora aí tem, Rosa! Filhos queridos, netos encantadores
Que eles conservem o encanto das Rosa(s)
FELIZ NATAL!
SANTO NATAL!
beijinho!

Tais Luso disse...

"Talvez seja por tudo isso que eu não consigo chorar faz tempo.
E talvez seja por tudo isto que eu gostava, que fosse Natal todos os dias, que todos os Natais tivessem crianças e que todas as crianças tivessem amor."

Mas eu tive vontade de chorar com a sua história, Rosa! Bonita, sim, muito! Mas com alta dose de tristeza...Mexe com nossos sentimentos.

Deixo aqui meu carinho, minha emoção pra você. E que você e sua família tenham um lindo Natal, com paz, amor e muito alegre.
Um beijo!

✿ chica disse...

Natais assim só podem ficar bem marcados pra sempre e que pena acabam...Mas ainda bem, são revividos agora com os netos e filhos! Lindo ,emocionante! Obrigadão pelo carinho ,que retribuo! bj, FELIZ NATAL! chica

Mariazita disse...

Rosa-Branca, minha amiga
Impressionante o seu relato de vida, e muito comovente.
Já me tinha apercebido, principalmente no Facebook, do seu grande amor pelos netos.
Agora está perfeitamente justificado, já que a sua infância foi passada com os avós.
Adorei ler a sua história de vida.

Festas Natalícias muito felizes, com Alegria, Paz e Amor.

Votos de uma semana muito feliz.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Graça Pires disse...

Uma história muito bem contada e emocionante.
Um BOM Natal e um Ano novo MELHOR.
Beijos.

Maria Rodrigues disse...

Uma história de vida triste e comovente. O importante é que embora o seu caminho não tenha sido fácil, hoje tem a alegria de ter a seu lado os seus filhos e netos.
Rosa, que a magia e o espírito do Natal, iluminem agora e sempre o seu caminho tornando-o colorido e pleno de felicidade.
Feliz NATAL e um excelente Ano Novo.
Beijinhos
Maria

Anónimo disse...

Obrigada pela visita. Desejo-lhe igualmente um feliz Natal.
Abraço
Catarina

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia, agora compreendi a razão do nome do seu blog, 46 anos passaram rápido, não compreendo é a classificação que se dá (quanto a mim) erradamente a uma certa idade, no que me calha, não aceito de modo algum ser carimbado com um nome, (terceira idade,) as pessoas não devem de ser portadores de um titulo, como a primeira, segunda, terceira, quarta ou quinta idade, cada um tem a idade que tem, na identificação de cada pessoa não está escrito, "terceira idade.)
Seu texto é a historia de família que nos deve deixar orgulhosos.
Votos de Feliz Natal.
AG

© Piedade Araújo Sol disse...

Rosa_Branca

que história de vida tão emocionante, que me comoveu e muito.

desejo que tenha um santo e Feliz Natal, e deixo um abraço bem apertado.

beijinhos

:)

Existe Sempre Um Lugar disse...

Votos de Natal Feliz em família.
AG

Jaime Portela disse...

O meus votos de um FELIZ NATAL e de um BOM ANO NOVO, querida amiga.
Beijo.

Edumanes disse...

Que os enganos não sejam gerados,
a saúde esteja sempre consigo e sua família
que os seus sonhos sejam sempre realizados
para você desejo Feliz Natal, com alegria!

Que o ano prestes a começar,
se não for melhor que não seja pior
do que este que está quase a terminar
Boas Festas, com paz e amor!

Onde quer que você esteja,
acompanhada de sua família
que Deus a todos os proteja!

Beijos para você amiga Rosa Branca,
Eduardo.

Pedro Luso disse...

Olá Rosa.
Comecei a ler a tua crônica, como leio tantas outras crônicas, com certa naturalidade, mas à medida que avançava no texto, ouvindo a história de tua infância e adolescência tão triste, comecei a notar que não se tratava de uma crônica comum, ao contrário, especial, que contava a história de uma vida cheia de amor e de tristeza; de presença e de perdas. Depois o novo convívio com os teus avôs paternos, morando numa casa no campo; as cartas para tua mãe, não respondidas, a ausência forçada do convívio com tua irmã, na infância. E, talvez que que tenha doído mais: o abandono pela própria mãe, de forma deliberada. Muito tocante a história de tua vida, minha amiga. Possivelmente eu passe a me lembrar desta crônica e de ti (de tua história), a cada Natal.
Agora que tens uma família, que tens netos, certamente serás um pouco a “avó Branca”, que te fez tanto bem e tanta falta. Desejo-te um FELIZ NATAL.
Abraços.
Pedro.

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

🎄🎅FELIZ NATAL🎄🎅

Daniel Costa disse...

Rosa Branca

Que depoimento maravilhoso, por paradoxal que pareça, emocionei-me até às lágrimas (os homens também podem chorar) é que a quadra de Natal, para mim é tempo de nostalgia. Quando os nossos ancestrais nos deixam boas recordações é normal as transmitirmos aos nossos.
Apreciei muito a tua passagem, agora pelo meu blog, e deixo votos de Felizes Festas.

Cidália Ferreira disse...

assei para;
Que o este Natal seja de: Paz...Amor...harmonia, no aconchego familiar, sem entrarmos em exageros...Principalmente, que tenhamos saúde. Extensivo aos vossos familiares e amigos.
Que todo o Mundo tenha direito ao Natal... BOAS FESTAS.

CÉU disse...

Olá, Branca e que é Rosa também (agora, já sei o motivo da escolha de estes dois nomes, para si, virtualmente. Mto acertadamente, em minha opinião)! e agora, quero saber, publicamente, mais coisas. Vamos lá e sem medos!

Como está? Espero k haja um período de acalmia, ao menos, nesta época.

Já comentei a sua história de vida, mas há sempre coisas para dizer, para dialogar com a minha amiga, que já deveria ter um lugar ao sol.

Mto obrigada pela sua passagem pelo meu blogue e pelos seus votos.

Então, renovo os votos de um Natal harmonioso e de um Ano novo venturoso.

Beijinhos e qdo quiser, dê um ar da sua graça.

Odete Ferreira disse...

Querida amiga: agradeço e retribuo os votos deixados no meu cantinho.
Os textos que leste interligam-se e têm um fio condutor.
Por estes dias, nascerá o meu primeiro netinho...
Por isso, também este Natal será único :)
O melhor para ti e entes queridos, agora e sempre.
BJO

Manuel disse...

Que maravilhoso post, que bela mensagem.
Agradeço a sua atenção e o favor de não me ter esquecido.
Desejo, à minha amiga e toda a família, o melhor Natal e um Novo Ano cheio de felicidade.
Um beijo
Manuel

Mirtes Stolze. disse...

Bom dia Rosa.
Realmente a senhora é uma Rosa perfumada que inala amor. Ontem a noite entrei aqui e não comseguir nem comentar chorava muito. Chamei a minha filha e contei para ela o seu relato. Ela mE deu um abraço bem apertado e me disse quanto sofrimento e grandeza de espírito a senhora tem e ficamos abraçada pensando a insignificância das coisas que reclamamos, como casa desarrumada por parentes presente que veio para ceia etc. O seu relato é muito triste, mas mostra a sua força, uma alma elevada onde conta a sua tristeza. Sem mostrar ressentimento pelas pessoas que tinha obrigação de lhe amar e lhe da segurança. Eu penso igual a voce as crianças deveriam ser amadas e bem cuidadas. Infelizmente muitas vezes não são. Que bom que tenho filhos amorosos e netos que lhe amar e são amados por você. Obrigada pela sua lição de vida é é um exemplo para todos que não tem nada que com amor possa não ser superado. Eu lhe desejo um Natal cheio de carinho de todos e muito amor como a senhora merece. Um enorme abraço.

Mirtes Stolze. disse...

A minha filha Santy esta aqui a me pedir para desejar a senhora que hoje é sempre seja muito feliz. E um Natal especial onde Jesus possa está presente hoje é por todos os dias da sua vida. Beijos.

Nina Filipe disse...

Querida, hoje sem ler, venho retribuir seu carinho e amizade, que o seu natal seja reconfortado com a presença dos seus ente-queridos,
E que nada lhe falte, Deus a tem guiado ao longo de todos estes anos com mais ou menos percalços, ele sabe qual o seu caminho e a guiará sem nunca largar sua mão.
Feliz natal e que para o próximo aqui estejamos para renovar tudo novamente.
Sempre amiga Nina.

Fê blue bird disse...

Amiga Rosa,
Partilhou connosco a sua história de vida e eu além de comovida, fiquei imensamente grata por ter a felicidade de a ter lido.

"Talvez por tudo isso, que eu adoro a 3ª idade, que tenho 2 filhos maravilhosos, dois netos lindos e que tenho esta alma com alguma nostalgia."

E eles, seus filhos e netos, têm imensa sorte de a ter como mãe e avó.
Bem-haja!

Desejo-vos um FELIZ NATAL!
Um enorme abraço

São disse...

Não consigo transmitir por palavras a emoção que o seu texto comovente e excelentemente escrito me provocou.

Por isso, a abraço ternamente e lhe desejo um Natal com muito amor e um 2017 a transbordar de paz. saúde, felicidade - junto a essa família linda que agora tem !

Kasioles disse...

Recuerdos maravillosos que hemos grabado a fuego en nuestro corazón.
Llegando estas fechas, no puedo por menos que sentir añoranza.
Mis mejores deseos en este día y que el próximo año te llene de amor y felicidad.
Cariños en el corazón.
kasioles

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

As Memórias das alegrias e das tristezas, não conhecem a terceira idade; são eternamente jovens.
Delas, podemos aprender que o tempo não tem idade.
Relato marcante na tua Vida e deixou-me a pensar na minha.
Mas é bom recordar...
"[...]Há Natais assim [...]"!

Votos de um Natal novo.


Beijo
SOL

Pedrasnuas disse...

Há memórias que se eternizam, e as tuas são lindas! De repente, vi-me num conto de Natal de um qualquer escritor conceituado!

Um Natal com aquele amor que aquece e ilumina o coração!

Beijinhos, Rosa! e obrigada pela partilha! Tudo de bom para filhos e netos. As maiores Felicidades para todos!

emanuel moura disse...

Querida amiga venho retribuir a visita desejando-lhe um Santo e Feliz Natal ,para si e para todos quanto ama ,que acima de tudo seja o renascer da esperança e do amor no nosso coração ,muitos beijinhos felicidades

Agostinho disse...

Uma Rosa assim, Branca, Branca, só podia ser uma mulher de coragem, uma alma branca, branca. Parabéns pela partilha desta história de vida. Enterncedora.
Só posso agradecer por se ter cruzado comigo neste caminho virtual: as coisas que escreve e faz, de tão reais, comovem até "almas de pedra".~
Desejo então que todos os dias sejam Natais e que das suas mãos, Rosa Branca, continuem a sair estas maravilhas de ver e saborear.

Boas Festas e um beijo.

© Piedade Araújo Sol disse...

Rosa

apenas para deixar meu abraço com um beijo dentro

:)

O Árabe disse...

Feliz Ano Novo, minha amiga. Que 2017 te traga paz, saúde e toda a felicidade que mereces!

manuela barroso disse...

Ainda guardo sua história, Rosa. Ms passado que é, orgulho de si que fica!
passando para lhe desejar continuação de FESTAS FELIZES!
Bji

Zilani Célia disse...

OI ROSA!
DIVIDISTE CONOSCO TUA HISTÓRIA O QUE ME EMOCIONOU POIS, ACHO QUE TODOS NÓS TEMOS NA NOSSA VIDA, UM PEDAÇO, POR MENOR QUE SEJA QUE É SÓ NOSSO.
ACHEI EMOCIONANTE AINDA MAIS POR SER VERDADEIRA E A SOUBESTE PASSAR COM MUITA EMOÇÃO.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Magia da Inês disse...

✧ه° ·.

Que o menino Jesus faça morada no seu coração
em todos os dias de 2017!


FELIZ ANO NOVO!!!

José Carlos Sant Anna disse...

Rosa,
Não encontro palavras para dizer-lhe o quanto me emocionou a sua história... E se você soubesse...
Agradeço e retribuo os votos de feliz natal e um próspero ano novo.
Vamos fazer da palavra coragem a mais importante para o 2017 que se aproxima a passos largos. Que ela seja o nosso guia.
Um beijo,

Existe Sempre Um Lugar disse...

Feliz ano de 2017 com a concretização de todos os sonhos

Jaime Portela disse...

Os meus votos de um BOM ANO de 2017, querida amiga Rosa.
Beijo.

O Árabe disse...

Feliz Ano Novo, minha amiga! Que 2017 te traga muitas alegrias, muita paz e muita saúde, junto àqueles a quem amas!

Magia da Inês disse...



Abra caminho para um ano novo cheio de paz, fé, saúde e muita harmonia.
Deixe para trás tudo que não deu certo e
olhe para o futuro com esperança.

FELIZ ANO NOVO!!!

✿゚ه.‿⎠

saudade disse...

Que 2017 te traga tudo de bom... Beijo de....
Saudade

Giancarlo disse...

Un felice 2017 per te e famiglia

Manuel Veiga disse...

calorosos de BOM ANO

Jaime Portela disse...

Tem um bom fim de semana, querida amiga Rosa.
Beijo.

LuísM Castanheira disse...

o natal já passou... outros hão-de vir, mas a prenda que hoje recebi, foi esta pérola, desdobrada em vidas que dão, onde outros foram, uma verdadeira lição: amor, com amor se paga!
Só me fica uma pequena reflexão:
pobre mãe que nunca saberá o
tanto amor que a filha tem.
(não há espaço livre para tanto tempo. 49 anos é uma eternidade de estória e de verdade)
Um grande Abraço, Avó Branca (talvez um beijo, se me permite)

LuísM Castanheira disse...

* queria dizer:...Avó Rosa (Branca, com certeza na pureza)

Kasioles disse...

Los recuerdos de nuestra niñez, se graban tanto en nuestras alma, que la huella tan profunda que dejan, la llevamos con nosotros hasta el final de nuestros días.
No es de extrañar que lleves en tu corazón a tu abuela Branca, la de los siete oficios, la que te peinaba tirabuzones, te ponía un gran lazo para que estuvieras guapa y hacía que, en el jardín, floreciesen bellas flores.
Con tu relato, me has hecho recordar a mi abuela, a mí me adoraba.
Cariños en abrazos.
kasioles

CÉU disse...

Olá, Rosa Branca!

Começo por lhe desejar UM ANO DIFERENTE, portanto, melhor que o anterior.
Lá a vou encontrando em blogues, que semanalmente comenta, e deduzo que estará bem e mto feliz com os seus netos.

Se as pessoas não mudam, mudamos nós.

Beijos e boa semana.

Maria Rodrigues disse...

Passei para deixar um beijinho
Maria

Smareis disse...

Um texto maravilhoso.
Boa semana Rosa!
Abraços!

Manuel disse...

Muito obrigado pela atenção e simpatia. Vai tudo bem, com muito trabalho e saudades da Blogosfera.
Espero que, a caracamiga, esteja também o melhor possível
Um abraço de muita amizade.

Jaime Portela disse...

Rosa Branca, passei para te desejar um bom fim de semana.
Beijo.

Agostinho disse...

Voltei para um beijo, Rosa_Branca.

© Piedade Araújo Sol disse...

Rosa
apenas para desejar
bom fim de semana.
beijinhos
:)

CÉU disse...

Olá, Rosa Branca!

Espero que não hajam Páscoas assim. Lá a vou encontrando num blogue ou outro, mas espaçadamente. Espero que as coisas tenham melhorado.

Desejo-lhe UMA PÁSCOA FELIZ E SERENA!

Beijos.

Sofia Macedo disse...

<3 Felizmente, aquilo que julgamos como adversidades da vida, permitem realidades que nos moldam de forma maravilhosa. Até os cheiros e as pedras da calçada têm o "nosso valor”... carácter, mas acima de tudo uma alma e coração imensos... Riqueza, é isto!

Sofia Macedo disse...

<3 Felizmente, aquilo que julgamos como adversidades da vida, permitem realidades que nos moldam de forma maravilhosa. Até os cheiros e as pedras da calçada têm o "nosso valor”... carácter, mas acima de tudo uma alma e coração imensos... Riqueza, é isto!

Maria Rodrigues disse...

Minha amiga passei para desejar um excelente fim de semana.
Beijinhos
Maria

Manuel Luis disse...

Olá Rosa como estas? Desejo que estejas bem com saúde.
Excelente mês.
Bjs

ANNA disse...

Hola amiga te recuerdo mi blog de poesías si deseas volver a visitarlo
Gracias

http://anna-historias.blogspot.com.tr/

sera un placer volver a tener tus comentarios

Besos

Braulio Pereira disse...

olá querida amiga

bonita historia muito bem obrigado pela visita e comentario

estou bem sim........ escrevo menos estou mandriao...

escrevo no instragam na casa do poeta em asas de poesia grupo da MAIA Porto...

BEIJINHOS TUDO DE BOM..