quarta-feira, 29 de julho de 2015

É TARDE


É tarde e é de manhã
E já nasceu mais um dia
Não há uma esperança vã
E aumenta a agonia

É tarde porque eu agora
Deixei de sonhar, de viver
E tenho em cada aurora
Amarguras a nascer

É tão tarde que a ausência
De tantas palavras loucas
Já nem pedem a clemência
P'ra beijar as nossas bocas

Tardios são os desejos
Que partiram à procura
Dos doces e loucos beijos
De ti da tua ternura

E nesta tarde sombria
Não há sol no meu jardim
Foi-se embora a alegria
E é noite dentro de mim

É tarde sim meu amor
Que a minh'alma magoada
Já nem chora mais de dor
 Já não precisa de nada.

58 comentários:

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

A gente deixa o tempo passar, e depois se pergunta por que não fez certas coisas, ou por que não se livrou de outras, por que não amou como devia, por que não brincou como podia. Lindo seu poema... como sempre. Beijos

EU disse...

Sentir que se deixou algo por fazer ou fazer acontecer, acarreta um sentimento de perda. Mas, não havendo forma de se voltar atrás, há que pensar no bom que se teve.
Lindo poema, amiga.
Bjo :)

Edumanes disse...

Porque é tarde,
não pude vir mais cedo
só você é que sabe
onde guarda o segredo.

Tarde, hoje, venho,
amanhã mais cedo virei
saudades tuas tenho
por isso não me esquecerei.

Ausência coração sente,
de quem partiu e não voltou
porque não parti para sempre
por isso, hoje, aqui estou!

Boa noite e bons sonhos Rosa Branca, um abraço.
Eduardo.

Mona Lisa disse...

Excelente e tão magoado poema!

Há mágoas que tudo destroem!

Beijinhos.

Evanir disse...

Nunca me esqueço daquele que trás no coração
carinho amor e respeito um bem querer.
Como é bom poder contar com sua amizade,
como é bom ter esperança mesmo ,
quando imaginamos estar sozinhos.
Sem duvidas não é verdade tenho sua amizade,
fidelidade e o amor incondicional de Deus.
Deixo um abraço com muito carinho
Beijos no seu doce coração.
Evanir S Garcia.

A.S. disse...

Nunca é tarde ainda que o sonho pareça longe do nosso alcance!
A vida é sempre uma conquista permanente...

Um beijo,
AL

Maria Rodrigues disse...

Tão triste e tão belo.
Nunca é tarde para tentar ser feliz.
Beijinhos
Maria

Andradarte disse...

Gosto da sua poesia, mas estou esperando
uns mais confiantes e afirmativos.
bfs
Beijo

Elvira Carvalho disse...

Que bom que voltou amiga. A sua poesia faz falta. Pena que seja tão triste. A vida é como os alcatruzes de uma nora. Ora estão no fundo do poço, ora lá bem no alto. E só assim faz sentido.
Um abraço e bom fim de semana

Pérola disse...

Será mesmo tarde?

Gosto de acreditar que ainda há tempo...

Beijinhos

Joaquim do Carmo (Quicas) disse...

... é sempre tempo, amiga!
Beijinho grato pela simpática visita, neste retomar do meu blogue!

Magia da Inês disse...


Muito lírico, muito melancólico!

♪♬ه° ·.
Bom sábado!!!
Muita paz e tudo de bom!!!
✿˚° ·.

Manuel disse...

Lindo e muito inspirado.
Como dia a Magia da Inês, um pouco melancólico, mas a poesia tem sempre um travo de melancolia.

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

E além do que é tardio,
Nada podemos fazer.
O Coração só tem frio
E ninguem p'ra o aquecer.


Beijos
SOL

APENAS PALAVRAS disse...

Os sentimentos da vazão as emoções, emoções que outrora nos deixou saudade, ou nos prendeu a algo...
O amor é o único remédio para aquecer um coração, por que sempre a tempo de um recomeço para buscarmos coisa esquecidas ou deixadas, o importante é persistir naquilo que estas a sentir ou desejar... Lindissimo texto, alias tudo aquilo que escreves deixa-nos transparecer aquilo que a de mais puro em seu lindo coraçãozinho.... bj demorado carregado de carrinho em seu puro coração... Estendo-te o convide em divulgar meu blog... www.uanderesuascronicas.blogspot.com.br
Ou colar uma das minhas HTML no seu lindo cantinho...

APENAS PALAVRAS disse...

Obrigado por comentar em meu espaço com suas lindas e sabias palvras

MARILENE disse...

A sensação de que é tarde demais faz doer a alma. Seus lindos versos nos levam a caminhar por uma trilha de nostalgia e desilusão. Bjs.

manuela barroso disse...

Quando parece que o barco se afunda, tentamos remar ao encontro das margens. Aí, está à espera a quietude do cais. Porto seguro.
Desistir, nuna, Roseira Brava!
Bem-vinda!
Beijinho

Ani Braga disse...

Adorei seu blog.
Desejo que seu final de semana lhe permita descansar, curtir a família, celebrar com os amigos e degustar o bom da vida!

Beijos
Ani

APENAS PALAVRAS disse...

O amor calcula as horas por meses, e os dias por anos; e cada pequena ausência é uma eternidade.
Ja por outro lado...O passado não reconhece o seu lugar: está sempre presente a nos revelar amores antigos e vividos de uma forma tão intensa e veraz.
Tudo é precioso para aquele que foi, por muito tempo, privado de tudo.
Confesso!
Houve um tempo em que minha janela se abria
sobre uma cidade que parecia ser feita de giz.
Perto da janela havia um pequeno jardim quase seco.
Era uma época de estiagem, de terra esfarelada,
e o jardim parecia morto.
Mas todas as manhãs vinha uma jovem mulher com um balde,
e, em silêncio, ia atirando com a mão umas gotas de água sobre as plantas.
Não era uma rega: era uma espécie de aspersão ritual, para que o jardim não morresse.
E eu olhava para as plantas, para a jovem e linda mulher, para as gotas de água que caíam de seus dedos delicados e meu coração ficava completamente feliz.
Hoje quando me sento em qualquer banco de uma pequena praça de diante de um chafariz, estas vagas lembranças corre-me os pensamentos, e eu me vejo a regar o grande jardim ao lado daquela jovem e bela mulher...

bj linda.... te espero em meu espaço. uanderesuascronicas.blogspot.com

Obrigado pela forma carinhosa, pela qual estas a divulgar minha imagem com o link do meu blog...

APENAS PALAVRAS disse...

O amor calcula as horas por meses, e os dias por anos; e cada pequena ausência é uma eternidade.
Ja por outro lado...O passado não reconhece o seu lugar: está sempre presente a nos revelar amores antigos e vividos de uma forma tão intensa e veraz.
Tudo é precioso para aquele que foi, por muito tempo, privado de tudo.
Confesso!
Houve um tempo em que minha janela se abria
sobre uma cidade que parecia ser feita de giz.
Perto da janela havia um pequeno jardim quase seco.
Era uma época de estiagem, de terra esfarelada,
e o jardim parecia morto.
Mas todas as manhãs vinha uma jovem mulher com um balde,
e, em silêncio, ia atirando com a mão umas gotas de água sobre as plantas.
Não era uma rega: era uma espécie de aspersão ritual, para que o jardim não morresse.
E eu olhava para as plantas, para a jovem e linda mulher, para as gotas de água que caíam de seus dedos delicados e meu coração ficava completamente feliz.
Hoje quando me sento em qualquer banco de uma pequena praça de diante de um chafariz, estas vagas lembranças corre-me os pensamentos, e eu me vejo a regar o grande jardim ao lado daquela jovem e bela mulher...

Manuel disse...

Vim deixar uma lágrima, as rosas precisam dessa gota, como nós precisamos dos seus escritos. Eu preciso!

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Poesia bela e intensa!

© Piedade Araújo Sol disse...

a melancolia impressa nas tuas palavras...

:)

Miguel disse...

Encontro-me de férias na Escócia, de momento em Thurso, a dois passos do Mar do Norte, onde o acesso à Net (e à civilização dum modo geral  ) é bastante difícil.
Quando regressar a Bagno a Ripoli, o que deverá ser em finais de Setembro, visitarei todos os blogs amigos.
Até lá desejo-te tudo de bom e dias muito felizes.
Um beijo
MIGUEL / ÉS A MINHA DEUSA

Manuel disse...

Umas gotas nestas belas rosas.
Um bom fim desemana!

Smareis disse...

Lindo, porém triste!
Sempre há um novo dia...
Um beijo e ótimo dia!

Dorli Ramos disse...

Uma linda poesia lírica e chorosa.
Amanhã o sorriso acordará
Beijos no coração
Dorli Ramos

Blog da Gigi disse...

Olá amei o cantinho!!!!!!!!!! Seguindo!!!!!
gigicandy29.blogspot.com.br

Maria Rodrigues disse...

Passei para deixar um abraço.
Maria

Jaime Portela disse...

Nunca é tarde para amar...
Mas o poema é magnífico, na forma e no conteúdo.
Rosa, tenha um bom resto de semana.
Beijinhos.

Pérola disse...

Talvez não seja tarde...

O Profeta disse...

Ouvi o vento e a música
Procurando um porto na madrugada
Ouvi a chegada de um navio
Julguei sentir uma voz amada
Uma criança jogando lama ao meio dia
Embrenhada e perdida na alma
Com rimas colorindo pálpebras de nostalgia

Doce beijo

Jaime Portela disse...

Vim à procura de mais...
Rosa, aproveito para lhe desejar um bom fim de semana (está perto...).
Abraço poético.

Duarte disse...

Como rimam os teus versos ao encontro do amor, entre um hoje e um ontem, desejando um amanhã, mas sendo belo.
Até diria que possuem som, coisas da rima talvez, pelo menos a mim me pareceu assim... loucura de amor!
Abraços de vida, querida amiga

Manuel disse...

Olá cara Risa Branca!
Já falei deste poema, mas volta a dizer que é lindo mas de nostalgia, mas é próprio dos poetas.
Boa semana.
Um abraço

Miguel disse...

Muito obrigado por me acompanhar na homenagem à querida amiga Evanir.
Te aguardo no próximo dia 24/09.
Votos de excelente fim-de-semana.
Um beijo
MIGUEL / ÉS A MINHA DEUSA

saudade disse...

Tanta coisa que deixamos por fazer e depois pode ser tarde demais para as fazer....
Mas quando se acredita que vale a pena, não existe tarde demais....
Beijo de....
Saudade

Valdemar Muge disse...

Nunca será tarde minha amiga.A esperança renasce em cada dia que desponta com a luz do amor e a alegria despontará novamente nos corações.Esse dia virá, com certeza. Parabéns pelo poema. Muito lindo.
Um abraço amigo.

O Profeta disse...

Oiçam este poeta de tostão
Que já prometeu e pediu uma mão
Oiçam a palavra salgada de saliva
Não tenho muito lugar, em ti, paixão


Passei para te desejar uma radiosa semana

Doce beijo

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Pincelar de tristeza o poema,
é um ato mais que próprio, do poeta!
Na sua poesia, há tristeza mas é tão bela... enternece!

Meu abro, Rosa!

Manuel disse...

Quando mais um poema.
Um abraço e bom fim de semana.

Ana Pereira disse...

Boa tarde
Convido-te a visitar o meu cantinho de poesia.
Um abraço, Ana Pereira
http://almainspiradora.blogspot.pt/

Miguel disse...

Nunca é tarde para amar, querida Rosa.
Na vida atravessamos períodos de completa descrença, em que nos parece que o "lugar" para o Amor deixou de existir - como tão bem descreves no teu poema. Mas o tempo se encarrega de nos mostrar que estávamos enganados,e outras formas de Amor surgem...
Vê se nos presenteias com novo post, ok? :)

Um beijo
MIGUEL / ÉS A MINHA DEUSA

Ricardo- águialivre disse...

Nunca é tarde para nascer um novo dia nas ruelas do nosso coração. O Sol pode não brilhar hoje mas amanhã, como se diz, é sempre um novo dia.
.
Bom fim de semana
Felicidades

António Jesus Batalha disse...

Passando pela net encontrei o seu blog, estive a folhear achei-o muito bom, feito com muito bom gosto.
Tenho um blog que gostava que conhecesse. O Peregrino E Servo.
PS. Se desejar fazer parte dos meus amigos virtuais faça-o de forma a que eu possa encontrar o seu blog para o seguir também.
Que haja paz e saúde no seu lar.
Com votos de saúde e de grandes vitórias.
Sou António Batalha.
http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

Ana Pereira disse...

Boa noite
Passei pelo teu cantinho para te dar a conhecer o meu modesto espaço de poesia.
Espero que gostes. Um abraço, Ana Pereira
http://almainspiradora.blogspot.pt/

Manuel disse...

Um bom fim de semana!

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Perdoe-me a ausência.
Final de ano, para quem ensina
o tempo fica curto,
mas estamos sempre visitando
espaços preciosos que nos fazem tão bem.

Gostaria de convidá-la a visitar o meu blog
www.sonhosdeumprofessor.blogspot.com
onde postei uma entrevista que fiz recentemente
e que está sendo vinculada na mídia de Fortaleza.

É também uma forma de entender a forma
que penso a Educação que acredito
e a qual dedico a minha vida.

Um imenso abraço.

Aluísio Cavalcante Jr.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Um poema muito triste.
Desejo que a amiga se encontre bem.
Obrigada pela visita.
Bj.
Irene Alves

Rafeiro Perfumado disse...

Nunca é tarde quando a alma resiste e subsiste! Ei, isto poderia dar um ditado popular!

Rafeiro Perfumado disse...

Nunca é tarde se não perdermos a esperança de que o sol voltará a nascer. Beijinho.

Elvira Carvalho disse...

Finalmente recuperei o seu link, perdido desde finais de Setembro quando perdi todos os links.
Reparo que continua arredada deste cantinho. E fiquei com pena.
Um abraço e bom fim de semana

Maria Rodrigues disse...

Passei para deixar um abraço.
Maria

Jaime Portela disse...

Gostei de reler o teu magnífico poema.
Mas fico à espera de mais algum, pelo menos de vez em quando...
Rosa, minha querida amiga, tem um bom resto de semana.
E um NATAL MUITO FELIZ, extensivo aos que te são mais queridos.
Beijo.

Vieira Calado disse...

Olá, como está?
Hoje vim expressamente para desejar-lhe, e aos seus, uma excelente Quadra Natalícia!

*E poderá ver o meu cinepoema Natal dos sem Abrigo em
http://vieiracaladolivrosvideo.blogspot.com

Antonio Batalha disse...

Estou a tentar visitar todos os amigos da verdade em poesia afim de lhes desejar um 2016 muito feliz cheio de grandes vitórias e muita saúde e Paz.
António.

Pedro Luso disse...

Olá,
Parabéns, rosa-branca, pelo poema profundo e belo.
abraços.