segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

ANDEI À MINHA PROCURA

Fantasia

Andei à minha procura
Naquela rua bem escura
Onde eu te conheci
Cheguei até a pensar
Que de tanto te amar
Enlouquecia por ti

De me procurar, em vão
Tinha o meu coração
Nesta agonia lenta
Jurei que ia enterrar
O que me está a matar
Este amor que me atormenta

Perguntei ao vento norte
Porque tenho esta sorte
Com o coração a sangrar
Me disse então o vento
Que só termino o lamento
Se fôr perguntar ao mar

Fui vêr o mar à tardinha
Veio à minha beirinha
Triste ele me disse então
Vais amá-lo a vida inteira
Pois ele arranjou maneira
De trancar o teu coração

Vivo presa, amordaçada
Minha alma está fechada
E o meu coração a sofrer
Ele quer a sua liberdade
P'ra procurar felicidade
Para continuar a viver.

23 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida
Belissimo poema
Um triste chorar.

Vivo presa, amordaçada
Minha alma está fechada
E o meu coração a sofrer
Ele quer a sua liberdade
P'ra procurar felicidade
Para continuar a viver.

Lindo


Beijinhos
Sonhadora

FOTOS-SUSY disse...

OLA ROSA-BRANCA, MARAVILHOSO POEMA...LINDISSIMAS PALAVRAS...ADOREI...VOTOS DE UMA FELIZ SEMANA!!!
BEIJOS DE AMIZADE,


SUSY

Mona Lisa disse...

Olá

Belo , mas triste poema!

Bjs.

Savi disse...

Olá Rosa Branca
admiro a tua veia poética,é lindo este poema mas muito nostálgico.
Bjs.
Savi

Elcio Tuiribepi disse...

OLá Rosa branca...parabéns pelas postagens e pelos poemas...
Essa procura por nós mesmos, por nossos anseioséuma constante em quem não se conforma em ser apenas um rio...ela nos condena ou nos liberta a procura do mar...sempre...sempre...
Obrigado por suas palavras lá no Verseiro...
Quando puder passa por lá...tem bolo,tem história e se quiser participar será bem-vinda ok...
Com certeza você tem histórias para dividir...
Um abraço na alma poetisa...bjo

saudade disse...

Por vezes temos de primeiro nos encontrar a nós proprios para depois sim encontrar a alma gemea e todos os que nos rodeiam...
Saudade

Daniel Costa disse...

Rosa Branca

Gostei do poema e seu fio condutor. Será uma ideia, uma mensagem para nos encontrarmos a nós próprios?
Daniel

Maria Cusca disse...

Olá amiga.
Lindo, triste e nostálgico.
Será esta a minha definição, mas de uma beleza emocionante, que só quem tem um borbulhar constante no coração, é capaz de transmitir.
Jinhos grandes e boa semana.

Graça disse...

Um poema bonito, mas triste... o coração não devia permitir ser agrilhoado!


Beijo, Rosa

Nilson Barcelli disse...

Gostei do teu poema, querida amiga.
Sofrido, mas belo.
Bom resto de semana.
Um beijo.

. intemporal . disse...

.

. um bel.íssimo poema . de dentro .

. veia e tormento . a ser alento .

. um beijo meu .

. um bom fim de semana .

. sempre,,, .




. paulo .

.

Zé Al disse...

Um belíssimo poema ,acompanhado de uma maravilhossa canção!
Um óptimo fim de semana
Beijos Zé Al

Mariana disse...

Triste poema.
Precisamos nos encontrar e viver, pos a vida é uma só e ela é bela.

Daniel Costa disse...

Rosa Branca

Um poema bonito, cheio de encantadora suavidade. Belos momentos de poesia de que gostei.
Daniel

MARIA L. BÓZOLI disse...

BOM FDSSSSSS.........Agradeço sua visita.
Amo este seu blog e as músicasssssss

Elcio Tuiribepi disse...

A sua visita já foi uma participação...rsrs
Valeu pelas palavras deixadas por lá...um abraço na alma...bom fim de semana...bjo

Gil Moura disse...

Olá, querida amiga!

Tenho tido o meu pc em "estágio" por causa de um vírus que o infectou. Daí esta minha ausência tanto nas postagens como nas visitas a todos vós meus amigos. Felizmente está tudo resolvido.

Voltarei com mais tempo para comentar como merecem.

Desejo um excelente fim de semana para todos!

Beijos e abraços

Gil

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Maravilhosa procura! Continue. Nós agradecemos!
Bom Fim de Semana*


RECONCILIAÇÃO

Else Lasker-Schüler (1869-1945)

Uma grande estrela cairá no meu colo*
A noite será de vigília
E rezaremos em línguas
Entalhadas como harpas.
A noite será de reconciliação*
Há tantos Deuses caindo sobre nós.
Nossos corações são meninos
querem a paz, meigos-cansados
E os beijos em nossos lábios afloram
– Por que a hesitação?
Não se choca no limite o meu coração com o teu?
O teu sangue não pára de dar-me cor às faces
A noite será de reconciliação
Se nos entregarmos, a morte não virá*
Uma grande estrela cairá no meu colo*

Trad. pela Renata Cordeiro à Rosa

Beijossssss

Helena Varandas disse...

Olá Rosa(?!)!
Gostei muito do blog está de parabéns, pelos textos e imagens lindas e, bigado pelos parabéns atrasados.
Beijocas e bom domingo
Helena

Maria Valadas disse...

Minha rosa-branca da côr do cisne... lindo o teu poema, escrito nos nenúfares do lago.

Apenas sei ... que adoro estes momentos que passo aqui a ler-te e a ouvir a boa música que escolheste.

Parabéns,
Bom Domingo.


Beijinhos.

LMDP disse...

Agradeço a sua visita...vou ler com calma depois comento..

MARIA L. BÓZOLI disse...

Te ofereço o mimo Brasil "História Viva" com carinho.
Leve o amiga..........Beijossssssss

Graça Pereira disse...

Ás vezes o amor, acorrenta o coração e, quando este se quer libertar é porque já não sente em si a mesma afeição e passa a viver num dilema.
É belo o teu poema, minha Rosa branca.
Um beijo
Graça