segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

ANDEI À MINHA PROCURA

Fantasia

Andei à minha procura
Naquela rua bem escura
Onde eu te conheci
Cheguei até a pensar
Que de tanto te amar
Enlouquecia por ti

De me procurar, em vão
Tinha o meu coração
Nesta agonia lenta
Jurei que ia enterrar
O que me está a matar
Este amor que me atormenta

Perguntei ao vento norte
Porque tenho esta sorte
Com o coração a sangrar
Me disse então o vento
Que só termino o lamento
Se fôr perguntar ao mar

Fui vêr o mar à tardinha
Veio à minha beirinha
Triste ele me disse então
Vais amá-lo a vida inteira
Pois ele arranjou maneira
De trancar o teu coração

Vivo presa, amordaçada
Minha alma está fechada
E o meu coração a sofrer
Ele quer a sua liberdade
P'ra procurar felicidade
Para continuar a viver.

23 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida
Belissimo poema
Um triste chorar.

Vivo presa, amordaçada
Minha alma está fechada
E o meu coração a sofrer
Ele quer a sua liberdade
P'ra procurar felicidade
Para continuar a viver.

Lindo


Beijinhos
Sonhadora

FOTOS-SUSY disse...

OLA ROSA-BRANCA, MARAVILHOSO POEMA...LINDISSIMAS PALAVRAS...ADOREI...VOTOS DE UMA FELIZ SEMANA!!!
BEIJOS DE AMIZADE,


SUSY

Mona Lisa disse...

Olá

Belo , mas triste poema!

Bjs.

Savi disse...

Olá Rosa Branca
admiro a tua veia poética,é lindo este poema mas muito nostálgico.
Bjs.
Savi

Elcio Tuiribepi disse...

OLá Rosa branca...parabéns pelas postagens e pelos poemas...
Essa procura por nós mesmos, por nossos anseioséuma constante em quem não se conforma em ser apenas um rio...ela nos condena ou nos liberta a procura do mar...sempre...sempre...
Obrigado por suas palavras lá no Verseiro...
Quando puder passa por lá...tem bolo,tem história e se quiser participar será bem-vinda ok...
Com certeza você tem histórias para dividir...
Um abraço na alma poetisa...bjo

saudade disse...

Por vezes temos de primeiro nos encontrar a nós proprios para depois sim encontrar a alma gemea e todos os que nos rodeiam...
Saudade

Daniel Costa disse...

Rosa Branca

Gostei do poema e seu fio condutor. Será uma ideia, uma mensagem para nos encontrarmos a nós próprios?
Daniel

Maria Cusca disse...

Olá amiga.
Lindo, triste e nostálgico.
Será esta a minha definição, mas de uma beleza emocionante, que só quem tem um borbulhar constante no coração, é capaz de transmitir.
Jinhos grandes e boa semana.

Graça disse...

Um poema bonito, mas triste... o coração não devia permitir ser agrilhoado!


Beijo, Rosa

Nilson Barcelli disse...

Gostei do teu poema, querida amiga.
Sofrido, mas belo.
Bom resto de semana.
Um beijo.

. intemporal . disse...

.

. um bel.íssimo poema . de dentro .

. veia e tormento . a ser alento .

. um beijo meu .

. um bom fim de semana .

. sempre,,, .




. paulo .

.

Zé Al disse...

Um belíssimo poema ,acompanhado de uma maravilhossa canção!
Um óptimo fim de semana
Beijos Zé Al

Mariana disse...

Triste poema.
Precisamos nos encontrar e viver, pos a vida é uma só e ela é bela.

Daniel Costa disse...

Rosa Branca

Um poema bonito, cheio de encantadora suavidade. Belos momentos de poesia de que gostei.
Daniel

Anónimo disse...

BOM FDSSSSSS.........Agradeço sua visita.
Amo este seu blog e as músicasssssss

Elcio Tuiribepi disse...

A sua visita já foi uma participação...rsrs
Valeu pelas palavras deixadas por lá...um abraço na alma...bom fim de semana...bjo

Gil Moura disse...

Olá, querida amiga!

Tenho tido o meu pc em "estágio" por causa de um vírus que o infectou. Daí esta minha ausência tanto nas postagens como nas visitas a todos vós meus amigos. Felizmente está tudo resolvido.

Voltarei com mais tempo para comentar como merecem.

Desejo um excelente fim de semana para todos!

Beijos e abraços

Gil

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Maravilhosa procura! Continue. Nós agradecemos!
Bom Fim de Semana*


RECONCILIAÇÃO

Else Lasker-Schüler (1869-1945)

Uma grande estrela cairá no meu colo*
A noite será de vigília
E rezaremos em línguas
Entalhadas como harpas.
A noite será de reconciliação*
Há tantos Deuses caindo sobre nós.
Nossos corações são meninos
querem a paz, meigos-cansados
E os beijos em nossos lábios afloram
– Por que a hesitação?
Não se choca no limite o meu coração com o teu?
O teu sangue não pára de dar-me cor às faces
A noite será de reconciliação
Se nos entregarmos, a morte não virá*
Uma grande estrela cairá no meu colo*

Trad. pela Renata Cordeiro à Rosa

Beijossssss

Helena Varandas disse...

Olá Rosa(?!)!
Gostei muito do blog está de parabéns, pelos textos e imagens lindas e, bigado pelos parabéns atrasados.
Beijocas e bom domingo
Helena

Anónimo disse...

Minha rosa-branca da côr do cisne... lindo o teu poema, escrito nos nenúfares do lago.

Apenas sei ... que adoro estes momentos que passo aqui a ler-te e a ouvir a boa música que escolheste.

Parabéns,
Bom Domingo.


Beijinhos.

LMDP disse...

Agradeço a sua visita...vou ler com calma depois comento..

Anónimo disse...

Te ofereço o mimo Brasil "História Viva" com carinho.
Leve o amiga..........Beijossssssss

Graça Pereira disse...

Ás vezes o amor, acorrenta o coração e, quando este se quer libertar é porque já não sente em si a mesma afeição e passa a viver num dilema.
É belo o teu poema, minha Rosa branca.
Um beijo
Graça